Entrevistas

PN ENTREVISTA: JULIANA C. RIESEMBERG

Vamos dar início a uma nova tag por aqui, a de entrevistas! É sabido que tornar-se pai e mãe é um processo sem fim, devido a sua complexidade. Mas, aqui queremos explorar um pouquinho a maternidade e paternidade do ponto de vista dos nossos entrevistados!

Para começar em grande estilo, convidei uma mamãe que gosto muito! Nos conhecemos há muito tempo já que a Juliana é mãe da minha melhor amiga! Responsa ein?
Então vamos lá! A Juli é mãe da Ana Luiza de 26 anos, do Luiz de 20 e recentemente do Heitor de 3! Espero que gostem tanto quanto eu!
arte_entrevista_juliana_riesemberg

1- Três filhos em épocas tão diferentes da vida! Como foi ser mãe em fases tão diferentes?

Quando tive a Ana, eu tinha só 22 anos. Tive que aprender tudo, aprendi com ela como ser mãe. Primeiro filho é uma escola e é onde você mais erra, claro que tentando acertar sempre! Eu sempre fui muito segura e corajosa, desde o primeiro dia já queria dar banho sozinha, achava que não precisava de ajuda. Tinha muito ciúmes dela. Quando tive o segundo filho, já estava diferente, um pouco mais madura e já sabia como as coisas funcionavam. A Ana já tinha 6 anos, já estava mais independente, sabia pedir as coisas, tomar banho sozinha, comer sozinha… então não foi difícil. E com o Heitor foi uma fase completamente diferente, mais velha e com os dois filhos crescidos. A Ana já estava casada e o Luiz no final da adolescência, já não precisavam mais tanto de mim. Eu estava em êxtase quando ele nasceu, uma alegria inexplicável! Era tão grande que fiquei até com medo no início, medo de que alguma coisa ia dar errado. Mas foi um sentimento passageiro, hoje ele já está com 3 anos, é saudável e feliz. Deu tudo certo!

2- Como é ter filhos de idades tão distantes?

É uma preocupação diferente com cada um. A Ana já está casada e mora longe de mim, então tem a saudade… a preocupação dela precisar de mim e eu não estar por perto. Com o Luiz são as festas, a bebida, dirigir…o primeiro emprego! E com o Heitor a educação, a formação e principalmente, em que mundo ele está crescendo hoje. Não é fácil, filho é preocupação eterna, nos preocupamos com eles até quando eles já são velhos!

3- Como foi a receptividade da família e amigos ao saberem da gravidez do Heitor?

Totalmente surpresa! Pra todo mundo, inclusive pra mim! A reação dos irmãos dele a princípio não foi muito boa, ficaram na defensiva comigo e com o pai. Não sei se foi ciúmes, medo ou preocupação…mas logo passou e todos curtiram muito a gravidez junto comigo. Ficamos todos muito felizes quando descobrimos o sexo! Das outras pessoas eu tive reações de tudo quanto é tipo, alguns ficaram com pena, outros ficaram felizes, ouvimos muito a frase “vocês estão ficando loucos!”. Mas no geral foi mais surpresa mesmo.

4- A gravidez do Heitor mudou o que no seu jeito?

Mudei só um pouco o jeito de pensar e alguns conceitos. Hoje faço algumas coisas que eu achava que não faria, tive que ficar mais moderna, afinal ele está crescendo em um mundo completamente diferente de 20 anos atrás, hoje tem muita informação, muitas coisas novas, doenças que ninguém sabia que existiam antes, por exemplo. Mas apesar disso tudo, a criação que dei para os meus dois filhos mais velhos está sendo a mesma que estou dando pra ele.

5- O que você diria para mães que querem/pensam em ter filhos depois dos 40?

Vá em frente! É uma idade muito boa para se ter filhos. Já temos uma cabeça mais madura, estamos mais seguras, temos mais paciência… e paciência é uma das coisas mais importantes para quem quer ter filho em qualquer idade! Eu estou curtindo muito, cada fase, cada descoberta… é como se fosse a primeira vez!

Adorei! Obrigada Juliana pela participação!

04 nov 15
Comente pelo Facebook
Deixe um comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado

1 Comentário
  1. Karleen - 09/11/2015 - 14h01

    Conheço a Juli a um tempão e fui uma das pessoas que ficou surpresa quando ela engravidou do Heitor. Surpresa positivamente!! Achei o máximo!!! Hoje, estou passando por uma situação parecida: estou com 42 anos, tenho um filho de 15 e uma bebezinha de 26 dias. E tenho visto muitos casos de mulheres tendo bebês com uma diferença grande do primeiro filho. E engravidar depois dos 40 também acontece com mais freqüência. Parabéns, Cláudia e bj pra Juli

Up