Pais, Reajo, Logo Existo

DESFRALDE

Recebi questionamentos sobre o desfralde…

A verdade, é que próximo a idade dos 2 anos (se não muito antes) as mães são sobrecarregadas com uma verdadeira enxurrada de questionamentos sobre esse tema. Acredito que o primeiro motivo se de por bater com a idade que muitas crianças ingressam na escola. E, claro, há uma pressão para que o pequeno ingresse no mundo adulto sem erro (vulgo, sem vazamentos). Entrando no padrão escolar: sem fralda, avisando suas vontades de ir ao banheiro, dormindo a hora que todas as crianças dormem…

Diferente de outros comportamentos que são aprendidos por repetição, este não é. Ou seja, todo dia é um novo dia.

No controle dos esfíncteres, o que acontece é o processo de MATURAÇÃO. Assim como é para o sentar, andar, falar… Por isso, senhores pais: calma. Tudo no seu tempo. Vão sempre ter exemplos da tia, da prima e da vizinha que deram super certo. Ok. Mas fazer um desfralde muito abrupto também pode ser ruim.

Ainda, tudo bem voltar atrás. Você achou que era a hora mas não deu certo, bola pra frente e um passinho pra trás. É assim mesmo.

 

 

 

Vamos falar mais sobre isso? Te interessa? Me manda um SIM aqui na caixa de Contato ou pelo e-mail: sandri.claudia@gmail.com e se você gostaria de participar pessoalmente de um encontro com esse tema.

Encontro sobre o processo de desfralde em Brusque e Itajaí. :)

thinkstockphotos-477191216

 

04 mar 17
Escolhas

LENDO E APRENDENDO SOBRE VALORES

É desejo comum de papais e mamães passarem os valores certos à seus filhos, mas além do exemplo dado em casa (fundamental!) contamos com mais alguns instrumentos: a contação de histórias, fábulas e provérbios que tenham valor moral, filmes, etc.

Algumas das histórias clássicas se fazem valer: “A Lebre e a Tartaruga”, a “Cigarra e a Formiga” são muito conhecidas, simples de contar e compartilhar e incentivam que a criança pense e principalmente desenvolva a empatia, ou seja, colocar-se no lugar do outro para imaginar determinada situação e como agiria nela.

Além dos clássicos, encontrei uma coleção muito legal: a coleção “O que cabe no meu mundo”, da editora Cedic. Nela, as histórinhas exploram temas diversos, tais como: “Prudência”, “Compreensão”, “Perdão”, “Gratidão”, “Lealdade”, “Otimismo” entre outros.

livrosensibilidade

Comprei hoje o “Prudência” e adorei a história. O meu encontrei na loja Eureka Brinquedos, em Balneário Camboriú.

 

28 ago 15
Up